You are currently viewing Educação financeira em tempos de crise
Educação Financeira

Educação financeira em tempos de crise

  • Post category:Geral
  • Reading time:6 mins read

Há mais de um ano lidamos com os efeitos da disseminação do novo coronavírus (Covid-19).

Eventos cancelados, empresas falindo e muitas pessoas desempregadas. 

E é justamente em época de crise que acabamos nos dando conta da real importância da educação financeira. 

A dificuldade financeira traz como consequência um impacto na capacidade de pagamento e, consequentemente, um crescimento no número de negativados.

De acordo com dados do Serasa Experian, existem mais de 60 milhões de inadimplentes no Brasil.

E para passar pela crise com o menor impacto possível, é fundamental ter organização e fazer um planejamento financeiro.

Isso porque a educação financeira é essencial para que possamos não somente controlar nossas despesas, mas também fazer uma reserva de emergência para momentos como esse.

Pensando nisso, listamos algumas dicas que consideramos fundamentais para driblar a crise. Veja abaixo quais são elas!

Educação financeira: dicas para driblar a crise

Pode até parecer simples, mas para conseguir passar pela crise sem sofrer tanto é preciso seguir algumas dicas de educação financeira. São elas:

Defina o seu orçamento familiar

Se você deseja organizar sua vida financeira, o primeiro passo é estabelecer e controlar todos os gastos, levando em conta a renda mensal da família.

Depois, é preciso compreender os hábitos de consumo e avaliar as reais necessidades para fazer escolhas mais conscientes.

Analise seu orçamento

Você precisa entender o seu orçamento. Lembre-se que somente depois de pagar todas as contas indispensáveis é que você pode usar o que sobrou para comprar algo que já havia planejado à vista ou aplicá-lo numa conta poupança. 

Procure nunca ultrapassar seus gastos atuais e manter uma reserva financeira (de 5% a 10% das receitas) para emergências. 

Separe as despesas pessoais das despesas da empresa

Uma ótima dica para minimizar as chances dos fluxos de dinheiro se misturarem é ter contas-correntes distintas para as finanças pessoais e as da empresa. 

Jamais utilize o dinheiro da empresa para comprar coisas pessoais. O ideal é você ter uma retirada mensal, como um salário.

Outro ponto importante é fazer um controle financeiro do que a empresa gasta e ganha com: produto ou serviço, forma de pagamento, data de gastos e receitas, pagamentos à vista ou parcelado.

Isso ajuda a aumentar a lucratividade do negócio.

Mas afinal, como controlar seu orçamento?

Para controlar o seu orçamento é necessário ter educação financeira. Com isso, é importante:

  • Anotar diariamente todos os gastos; 
  • Evitar emitir cheques pré-datados; 
  • Pagar as contas em dia, evitando as multas e os juros; 
  • Gastar menos do que ganha; 
  • Pesquisar preços e fazer uma boa análise antes de investir em bens de alto valor; 
  • Comprar o que realmente é necessário e evitar ir a lojas em dias que não estiver muito bem;
  • Reservar, quando possível, 5% da sua renda para investir em você.

Educação Financeira: Dicas para usar o cartão de crédito sem fazer dívidas

É muito importante compreender a importância do planejamento financeiro para não cair em ciladas, como o caso de usar o crédito como fonte de renda.

Dito isso, para evitar que você perca o controle dos gastos ao utilizar cartão de crédito, é preciso:

  • Evitar pagar somente o valor mínimo do seu cartão, pois os juros que incidem sobre o valor que não foi pago é muito alto; 
  • Não pagar a fatura com atraso, pois os juros são ainda mais altos do que o caso acima, além de ter uma multa; 
  • Não ter vários cartões, pois quanto mais cartões, mais gastos desnecessários e, consequentemente, menos controle sobre as finanças;
  • Evitar parcelar compras no cartão, já que muitas lojas embutem juros nas parcelas.

O que fazer para sair do vermelho?

Não tem muito segredo para dar a volta por cima e sair do vermelho, após enfrentar uma crise.

Dentre várias dicas podemos destacar:

  • Gastar menos e poupar mais;
  • Cortar gastos desnecessários;
  • Fazer um planejamento financeiro e segui-lo; 
  • Promover o consumo consciente;
  • Negociar dívidas;
  • Definir metas de curto, médio e longo prazos.

Está com o nome negativado? Saiba como usar limpar seu nome

Sabemos que o não pagamento de contas pode levar à inclusão do nome em cadastros negativos do SCPC (Serviço de Proteção ao Crédito) ou da Serasa (Centralização de Serviços de Bancos).

E isso pode te atrapalhar, e muito, na hora de solicitar cartão de crédito, financiar imóveis ou automóveis, entre outras situações desagradáveis.

Portanto, se você está nessa situação, o ideal é fazer um esforço para reverter o quadro o mais rápido possível.

Uma boa alternativa é procurar a instituição ou empresa credora e pedir alternativas para negociação da dívida, seja através de um desconto à vista ou de forma parcelada. 

Uma vez que você pagar a dívida, a instituição ou empresa credora deve enviar um comando específico para a Serasa executar a baixa da negativação. 

Educação Financeira: Conclusão

No post de hoje falamos um pouco mais sobre a educação financeira e como utilizá-la em tempos de crise, para evitar as dívidas.

O fato é que um bom planejamento financeiro, com as receitas e despesas, é capaz de te ajudar a entender os seus gastos e evitar aqueles desnecessários.

Muito importante também é sempre reservar uma parte dos ganhos para uma emergência ou ainda para melhorar a sua qualidade de vida.

No entanto, se você busca uma nova maneira de empreender, com baixo investimento e operação simplificada, precisa conhecer a franquia da Quinta Valentina.

Entre as vantagens, além do valor do investimento, estão a não necessidade de ter um ponto comercial e a possibilidade de oferecer sapatos femininos no conforto do lar da cliente.